REGIONAL

Servidores estaduais devem ficar sem reposição salarial em janeiro

Os servidores ativos, inativos e pensionistas do Estado do Ceará, do Legislativo, do Executivo e do Judiciário, não terão, em janeiro, como nos últimos anos, qualquer alteração em seus contracheques. Isto é, não haverá correção, e muito menos majoração salarial, embora a inflação beire a casa dos 10%. Os militares são exceção por conta das promoções que acontecerão nos próximos dias.

Hoje, o erário estadual só suporta o pagamento da folha de dezembro com a segunda parcela do décimo terceiro salário. O secretário da Fazenda, Mauro Filho, porém, tranquiliza quanto ao cumprimento do calendário de desembolso do pessoal, no início do ano, obedecendo os mesmos valores de dezembro.

Embora uma decisão do governador Camilo Santana, do início deste ano, tenha motivado uma redução de certa forma expressiva no número de trabalhadores com cargos comissionados, o custo da folha, em 2015, cresceu 10%, podendo ultrapassar o total de R$ 9 bilhões, ameaçando o limite prudencial definido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), um limitador rígido de gastos com pessoal em todos os setores da administração pública.

Em razão da inflação de 2014, o Estado majorou em 6,45% a remuneração de todos os seus trabalhadores. No ano anterior o percentual acrescido no contracheque dos servidores foi de 5,7%. Hoje o salário mínimo pago pela administração estadual é de R$ 813,51 e terá que ser revisto para, pelo menos ficar igual ao definido na área da administração federal. (DN)


Sobre Luiz Vasconcelos

0 comentários :

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.