POLITICA

Moro provoca marqueteiro João Santana ao negar acesso a investigação


O juiz Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância, negou acesso aos advogados de João Santana aos autos da investigação sobre pagamentos realizados pela Odebrecht ao marqueteiro. Santana foi responsável pelas campanhas presidenciais de Lula e Dilma Rousseff.

De acordo com Moro, a abertura dos dados poderia pôr em risco o rastreamento de recursos financeiros ou mesmo levar à destruição de provas.

"Como diz o ditado, dinheiro tem coração de coelho e patas de lebre", escreveu o juiz, em despacho datado de terça-feira, 16.

Segundo informações da Folha de S.Paulo, a Lava Jato investiga pagamentos da empreiteira Odebrecht ao publicitário em contas no exterior. Eles se recusaram a comentar sobre a investigação, alegando que não tiveram acesso ao inquérito.

De acordo com a investigação em curso, Santana teria recebido valores em 2014, quando ele fez as campanhas de Dilma, no Brasil, e de José Domingo Arias, derrotado no Panamá –país onde a Odebrecht tem forte atuação.

Os advogados do marqueteiro pediram acesso à investigação junto à 13ª Vara Federal de Curitiba, logo após a Folha revelar que a Lava Jato investiga a relação de Santana com a Odebrecht.

Ao negar o acesso, Moro escreveu que o fato de "jornais e revistas terem especulado" sobre a investigação não altera a necessidade de sigilo e provocou Santana:

"Evidente, querendo, poderá o investigado antecipar-se à conclusão da investigação e esclarecer junto à autoridade policial seu eventual relacionamento com o grupo Odebrecht".


Sobre Luiz Vasconcelos

0 comentários :

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.