Eletrodomésticos puxam queda no varejo no Ceará

A queda nas vendas do varejo ampliado do Ceará - que inclui veículos e peças e materiais de construção - se intensificou mais uma vez em maio, chegando a 14,7% ante igual mês do ano anterior, influenciado fortemente pelo subgrupo eletrodomésticos, que, com queda de 35,5%, puxou o grupo móveis e eletrodomésticos (-23,8%). Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada ontem pelo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Outras fortes quedas responsáveis pela baixa do varejo ampliado em maio ocorreram nos grupos material de construção, com retração de 30,1%; outros artigos de uso pessoal e doméstico, que teve recuo de 22,3%; veículos, motocicletas, partes e peças (-20,2%); e papelaria, com recuo mensal de 19,3%.

Acumulado

Com o resultado, o varejo do Ceará acumula, de janeiro a maio deste ano, queda de 12,2%. Nos apanhado dos últimos 12 meses, a retração da atividade chega a 11,5%. Sofrendo menor impacto, apesar de também estarem no negativo, estão os setores de combustíveis e lubrificantes, com queda de 3% na comparação com igual mês do ano anterior, artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-4%) e o subgrupo hipermercados e supermercados (-4,8%), do grupo hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo.



Sobre Luiz Vasconcelos

0 comentários :

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.