CIDADE

Alunos de escola pública de Iguatu criam lei para preservar a caatinga e ganham prêmio nacional

Alunos de escola pública criaram projeto de lei de preservação da caatinga (Foto: Divulgação/Instituto Alana)
Uma escola pública de Iguatu, no interior do Ceará, foi uma das 11 vencedoras do desafio Criativos da Escola, iniciativa integrante do movimento global Design for Change, que premia projetos de protagonismo estudantil em 35 países. Outras duas escolas cearenses, nas cidades de Cascavel e Mulungu, também receberam prêmios por projetos apresentados no concurso de 2016, realizado pelo Instituto Alana. As informações é do G1.

Os alunos da Escola de Ensino Médio da Escola Estadual de Ensino Profissional Lucas Emmanuel Lima Pinheiro de Iguatu elaboraram o projeto ‘Cruzando os Sertões da Mata Branca: Educação e Sustentabilidade na Caatinga’. O trabalho resultou em uma lei municipal que estimula criação de políticas públicas para valorizar e preservar a caatinga.

A professora Adriana Silva Oliveira, orientadora do trabalho, explica que o projeto vem sendo desenvolvido desde abril de 2015, com a participação de 35 alunos de 16 e 17 anos. O trabalho faz parte de uma série de ações desenvolvidas na cidade de Iguatu com o objetivo de mostrar a importância da caatinga, bioma exclusivo do Brasil.

"O projeto foi elaborado após uma visita de nossos alunos à Secretaria Municipal para verificar o que estava sendo feito para esse bioma. Não eram muitas ações, mas, a partir daí, eles criaram o projeto de lei para fortalecer e preservar a caatinga em Iguatu", comentou.

Após a aprovação do projeto, o município ficou encarregado de disponibilizar recursos para preservar o bioma e ofertar meios para estudá-lo. O grupo catalogou as plantas típicas da região, organizou um mutirão de ‘ecofaxina’ e reflorestamento de espécies nativas às margens do Rio Jaguaribe. Os alunos também instituíram a oiticica como a árvore oficial da caatinga na cidade.

Adriana diz que o projeto entrará em uma nova etapa para tentar levar para a Assembleia Legislativa do Ceará. O objetivo dos alunos é fazer com que o projeto feito na escola se transforme em uma lei estadual de preservação da caatinga.

"As pessoas têm que ver a caatinga de outra forma, não só como um ambiente seco e sem vida. Então, se esse projeto chegar a virar uma lei, será importante para que as pessoas conheçam a fundo o bioma. Esse projeto tem um papel importante para conscientizar as pessoas e criar estratégias de preservação da caatinga".

Reconhecimento

Os alunos receberam R$ 2 mil como premiação no desafio Criativos da Escola para incentivar as pesquisas. Segundo a professora, o projeto desenvolvido na escola é importante para a formação acadêmica dos alunos porque eles têm a possibilidade de ingressar no ramo da pesquisa ainda durante o ensino médio.

"Eles estão despertando para a pesquisa, e isso é uma coisa nova. Os alunos estão sendo protagonistas na comunidade na qual vivem. Para eles, isso é muito gratificante", pontuou a orientadora.

O desafio Criativos da Escola recebeu 1.014 inscrições de projetos de diferentes estados brasileiros em 2016. Conforme Gabriel Salgado, que é um dos organizadores, o concurso tem uma importância estratégica para aproximar projetos estudantis das mais diversas cidades brasileiras.

"Com ele (desafio) chegamos a alunos de diversas partes do Brasil e tomamos conhecimento de projetos que modificam a sociedade em que vivem. No caso de Iguatu, o protagonismo contribuiu para a transformação da realidade local, com uma maior reflexão de todos da sociedade", comentou.


Sobre Luiz Vasconcelos

0 comentários :

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.