CIDADE

Iguatu está em queda livre na geração de empregos


É triste, mas é verdade. Em 2017, pelos últimos dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados - Caged, com base no mês de setembro, Iguatu registrou saldo negativo no emprego formal (carteira assinada). 

Iguatu, considerada o epicentro da região Centro Sul do Estado, concentrando ao redor mais de 300 mil habitantes, sofre com a falta de perspectivas para a recuperação de empregos. Em setembro, segundo os dados do Caged, Iguatu fechou o mês com saldo negativo, foram -178 vagas. 

No acumulado de 2017, o setor da indústria de transformação admitiu 748 trabalhadores, e demitiu 1.100, gerando um déficit de -352 vagas.

O comércio também mostrou saldo negativo no acumulado do ano. Foram admitidas 987 pessoas e demitidas 1.173, um saldo negativo de 186 empregos.

A construção civil foi o único setor que gerou resultados positivos. Foram admitidos 121 trabalhadores e demitidos 117, gerando um saldo positivo de 4 vagas.

No total do ano, são 2.432 admissões e 2.934 desligamentos, o que resultou em -502 postos de trabalho.

Enquanto Iguatu patina e perde vagas de empregos formais, Várzea Alegre, município distante cerca de 60 Km, amplia suas vagas de empregos com carteira assinada, com saldo positivo de 646 novos postos de trabalho.





Sobre Luiz Vasconcelos

0 comentários :

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.