CIDADE

Ministério Público vê indícios de irregularidades e pede suspensão de contrato feito pela Prefeitura de Iguatu para aquisição de testes rápidos de Covid-19


O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), através da 5ª promotoria de Justiça da Comarca de Iguatu, enviou recomendação ao secretário de Saúde do município, George Xavier para a suspensão de contrato feito junto à empresa Maxxi Distribuidora de Medicamentos Hospitalares Eireli, que previa a aquisição de 5 mil testes rápidos de Covid-19, no valor total de R$ 945 mil reais.

A recomendação foi expedida pelo promotor de Justiça, Fábio Vinicius Ottoni Ferreira, após levantamento feito no site do Tribunal de Contas do Estado (TCE), onde foi verificado que o município de Iguatu estaria pagando o preço mais alto entre todos os municípios do interior do Estado.

Em nota, a Prefeitura de Iguatu informou que, tão logo recebeu a recomendação do Ministério Público solicitou do setor de compras da saúde o realinhamento de preços junto à empresa vencedora do processo de dispensa de licitação, e que após isso, resolveu acatar a determinação do órgão ministerial e revogou o contrato.


Sobre Luiz Vasconcelos

0 comentários :

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.