DESTAQUE

Onda de assaltos na CE-060 provoca mudança de rota de empresa de ônibus

A insegurança mediante a onda de assaltos praticados durante a madrugada contra ônibus na CE 060 (Estrada do Algodão), no município de Quixeramobim, fez com que a empresa Guanabara cancelasse a rota noturna entre Fortaleza e a região do Cariri, via Sertão Central. Os veículos de passageiros agora seguem pela BR 116.

A mudança atingiu 12 horários e as cidades de Acopiara, Mombaça, Quixeramobim e Quixadá que agora só dispõem de ônibus no horário diurno. A medida foi implantada no último dia 15, com autorização do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Estudantes, moradores desses centros urbanos e representantes comerciais lamentaram o cancelamento das linhas noturnas, embora reconheçam que o quadro de insegurança é preocupante.

Os ônibus que saem do Cariri chegam a Iguatu pela CE 060, mas depois seguem para Icó pela CE 282 e daí para Fortaleza pela BR 116, no horário noturno.

Não há previsão de retorno das linhas. A empresa, por meio de nota, esclareceu que o serviço só volta ao percurso anterior depois que forem garantidas as condições de segurança nos trechos dos assaltos. Nos últimos 30 dias, a empresa foi vítima de três assaltos e uma tentativa com uso de arma de fogo. Todos no mesmo local, no distrito de São Miguel, em Quixeramobim.

Quem viajava durante a madrugada via CE 060 fazia o percurso com medo. Os assaltos contra os passageiros tornaram-se frequentes. Os coletivos passaram a seguir em comboio. Mesmo assim, os assaltantes continuaram praticando o roubo contra passageiros. Os veículos eram desviados para uma estrada de terra (vicinal) e todos eram vítimas da ação criminosa. Os ladrões levavam toda a bagagem de mão, além de dinheiro, celulares, joias, relógios, alianças e anéis que se encontravam nas gavetas.
Quem foi vítima desse tipo de roubo narra o medo da ação. "Eram grupos fortemente armados, que retiravam tudo da gente", contou um representante comercial. "Perdi notebook, celular, dinheiro e roupas".

O professor Flávio Assunção lamentou que a onda crescente de violência obrigasse uma decisão que classificou como extrema. "Na prática, o Estado rendeu-se aos bandidos e os consumidores são os prejudicados", disse. "Deveria haver serviço de inteligência da Polícia Militar (PM) para descobrir e coibir a ação dessa quadrilha".

O vendedor Marcos Oliveira fazia a rota noturna para a cidade de Mombaça, mas agora terá que encontrar outro meio. "Vou buscar outra alternativa ou terei que pernoitar em Iguatu". Quem mora em Acopiara, Mombaça, Quixeramobim e Mombaça terá que se adaptar com horários diários, substituindo-os da noite. A empresa reconhece os transtornos, mas ressaltou que 'a segurança é primordial'.

Comunicado

Ainda segundo a nota, a Guanabara comunicou a sequência de ocorrências a todas as autoridades policiais do Estado. A empresa registrou Boletim de Ocorrência e, por meio de oficio, informou dos assaltos para a Secretaria Estadual de Segurança, o Comando da Polícia Militar, Delegacia Geral da Polícia Civil, além de visitas pessoais dos gestores da empresa ao Comando da Polícia Rodoviária Estadual, Delegacia de Quixadá, Delegacia de Quixeramobim e ao Batalhão da Polícia Militar de Quixadá.

(Diário do Nordeste)


Sobre Luiz Vasconcelos

0 comentários :

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.