CIDADE

Prefeitura de Iguatu suspende pagamento de adicional de insalubridade e hora extra dos servidores da Saúde


O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Iguatu (SPUMI) divulgou nota, por meio de mensagem de áudio em rede social, informando que tomou conhecimento sobre a suspensão do adicional por exercício de atividades insalubres de servidores que atuam na Secretaria de Saúde de Iguatu. Os cortes, segundo o sindicato, teria também atingido os servidores do setor de Endemias, que tiveram seus pagamentos de horas- extras cortados.

O presidente do Sindicato dos Servidores, Pablo Neves, disse que os trabalhadores foram desrespeitados porque em nenhum momento o corte foi discutido com a diretoria do sindicato. “Fomos surpreendidos com essa decisão, mas vamos procurar o secretário de saúde Marcelo Sobreira para tentar resolver essa situação”, disse.

O pagamento do adicional de insalubridade é um direito constitucional do trabalhador e também previsto pela CLT. No caso dos profissionais de saúde que exercem função hospitalar, a insalubridade é encontrada na exposição a todas as doenças infecto contagiosas.

O percentual de adicional por insalubridade varia entre 10%, 20% e 40% sobre o salário mínimo vigente, conforme o grau de insalubridade a que o indivíduo está exposto. Assim, o grau mínimo dá direito a 10% de adicional, enquanto o grau intermediário atribui 20% de adicional, já o grau máximo dá direito ao adicional de 40%.

Sobre Luiz Vasconcelos

0 comentários :

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.