CIDADE

Biblioteca comunitária no bairro Vila Neuma contribui com o aprendizado

O projeto passou a funcionar há três anos, e contempla moradores de comunidades vizinhas pelo acesso à leitura.
Foto: Honório Barbosa
A instalação de uma biblioteca comunitária no Bairro Vila Neuma, na periferia desta cidade do Centro-Sul do Ceará, vem contribuindo com o aprendizado e alfabetização de crianças e adolescentes. O projeto é inédito no município, passou a funcionar há três anos, e contempla moradores de comunidades vizinhas pelo acesso à leitura. A Biblioteca Comunitária Francisco Ítalo Nunes funciona no antigo posto policial.

A estudante Iraína Gouveia,16, sempre que tem um tempinho livre da escola e dos estudos, vai para o local e, entre um livro e outro, procura um exemplar de sua preferência. "Gosto de suspense e também de romance. Estou me habituando a ler. Sempre passo por aqui e, quando tem alguma novidade, levo logo para casa", conta.

Desde quando passou a funcionar, a unidade recebe a visita de moradores e estudantes de comunidades vizinhas. Na curiosidade dos seus sete anos de idade, Isabeli Lopes, iniciando as primeiras leituras, disse que gosta de fábulas, as histórias infantis contadas pela professora na escola e procurava um livro sobre o tema.

Antigo posto policial

No prédio ocupado pela biblioteca durante muito tempo funcionou um destacamento policial. "Onde era a cela, gabinete e corredor agora está tudo tomado por estantes cheias de livros. É como eu costumo dizer, o espaço foi transformado em um local para quem busca conhecimento. Saiu das algemas para a liberdade, para a busca de conhecimento e cultura", comentou o idealizador do projeto, Antônio Pereira, o Antônio Baixinho, líder comunitário e vereador, que doou estantes e o acervo para a Associação Cultural do bairro. "O equipamento é da comunidade, sempre tive essa intenção de conseguir os livros", acrescentou.

Para a professora e pedagoga, Marciana Lopes, presidente da entidade, o equipamento é transformador, permitindo o conhecimento por meio da leitura. "Possibilita o acesso aos livros, a aquisição de novos conhecimentos e a melhoria da comunidade onde estamos inseridos", comentou.

Marciana passou a dar aulas de reforço gratuito para as crianças e adolescentes, três vezes por semana, no período da tarde. A ideia é desenvolver novas ações culturais, envolvendo ainda mais a comunidade, com atividades voltadas para música, dança e o teatro.

Falta apoio

Antônio Pereira lamentou as dificuldades recentes para manter a atividade com funcionamento regular. "Não temos apoio de instituições públicas e particulares. Já realizamos gincanas literárias, culturais e sociais como ações de incentivo ao combate aos mosquito da dengue".

O esforço é para, por meio dos livros, ofertar para crianças e adolescentes do bairro, pobre, ribeirinho do Rio Jaguaribe, um mundo melhor. Em uma placa de madeira, instalada na fachada do imóvel, está escrito: "A Educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo", frase do líder sul-africano, Nelson Mandela.

(Diário do Nordeste - Honório Barbosa)

Sobre Luiz Vasconcelos

0 comentários :

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.