POLITICA

Após denúncias, deputado autoriza quebra de sigilo bancário e telefônico


O deputado estadual Nezinho Farias (PDT) usou a tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã desta terça-feira (18), para se defender das denúncias feitas pelo colega da Casa André Fernandes (PSL), de que Nezinho poderia ser membro de facção criminosa. O parlamentar voltou a negar as acusações e afirmou que renunciaria ao mandato, caso se comprove alguma coisa nessa denúncia.

O pedetista fez um longo discurso na Casa, e recebeu apartes de vários deputados, que cobraram punições exemplares da Assembleia Legislativa contra o deputado do PSL e agilidade do Conselho de Ética da Casa. André Fernandes está em Brasília e não compareceu à sessão.

Em uma denúncia de três páginas protocolada na última sexta-feira (14), André Fernandes sustenta, a partir de informações trazidas por fontes não citadas, que Nezinho teve a campanha eleitoral financiada pela facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

Em troca, segundo Fernandes, o deputado teria o "dever" de apresentar e aprovar um projeto que viesse a fortalecer atividade desempenhada pela facção.

No documento, Fernandes diz que o projeto de lei apresentado por Nezinho, para regulamentar jogos eletrônicos no Estado, atenderia aos interesses da facção e serviria para fortalecer a lavagem de dinheiro através do "jogo do bicho". 

A bancada do PDT prepara uma representação contra Fernandes no órgão. Está marcada para esta quarta (19) uma reunião da Executiva Estadual do partido, em Fortaleza, para deliberar sobre o assunto. 


Sobre Luiz Vasconcelos

0 comentários :

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.