CIDADE

Após aprovarem titulo de cidadão iguatuense a Bolsonaro, vereadores se arrependem e querem revogar decreto


Na sessão ordinária da última terça (4),  os vereadores aprovaram decreto legislativo de autoria do vereador Rubenildo Cadeira (Republicanos), concedendo o título de Cidadão de Iguatu ao presidente Jair Bolsonaro. A decisão dos parlamentares caiu nas redes sociais, e causou muita polêmica.

Dois parlamentares, Bandeira Júnior e Alyson Berreto, que haviam aprovado o título, após pressão, desistiram do voto e agora querem revogar o decreto. Na quarta-feira, ambos protocolaram um requerimento para que a mesa diretora da Câmara pudesse deliberar em plenário o pedido de revogação dos votos.

Inicialmente, cinco dos vereadores presentes negaram seu voto à proposta. Foram eles: Sávio Sobreira, João Torres, Eudisvan, Marciano Baião e Lindovan. Já outros nove parlamentares foram à favor da medida: Rubenildo Cadeira, Zilfran, Pedro Lavor, Diego Felipe, Louro da Barra, Pedro Uchoa, Bandeira Junior, Alyson Berreto e João Lazaro. Os vereadores Rafael Gadelha e Marconi filho estiveram ausentes.

O vereador Rubenildo Cadeira faz um alerta quanto à revogação da honraria, e destaca que, caso aprovado, a decisão estará "abrindo um precedente perigoso", já  fa um alertanhum momento da história da cidade, segundo ele, houve algo semelhante, de que, tendo a Câmara aprovado uma honraria a um determinado cidadão ou cidadã, em seguida por arrependimento, alguém tenha revogado. "Repito: é um precedente perigoso", destaca.

Sobre Luiz Vasconcelos

0 comentários :

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.