CIDADE

Ministério Público aponta irregularidades no CAPs da criança e do adolescente de Iguatu


Descaso administrativo no Centro de Atenção Psicossocial da Criança e do Adolescente (CAPSi)da cidade de Iguatu. A situação foi identificada por meio de uma inspeção realizada no dia 25 de novembro de 2019, através da Promotoria de Justiça da cidade.

Durante a visita ao equipamento público, a promotora de Justiça, Helga Barreto Tavares, observou diversas irregularidades, dentre elas, grande quantidade de entulhos depositados na área externa da unidade; falta de alvará de funcionamento junto ao Corpo de Bombeiros; falta de privacidade para os atendimentos; falta de acessibilidade; ausência de profissionais durante a inspeção, além de banheiros não separados por sexo e com número de sanitários e chuveiros insuficientes.

Segundo a promotora de Justiça, Helga Barreto, o CAPSi atende crianças e adolescentes com transtornos mentais graves e persistentes e o que fazem uso de crack, álcool e outra drogas, sendo um serviço aberto e de caráter comunitário, portanto, cabe ao município, por meio da Secretaria de Saúde, adequar sua estrutura e seu orçamento.

Por meio de documento, a 3ª Promotoria solicitou, no prazo de 15 dias, a regularização das irregularidades identificadas durante a visita do órgão, sob pena de adoção de medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis.

Além de Iguatu, o CAPSi da cidade atende os municípios de Quixelô, Mombaça, Piquet Carneiro, Catarina, Cariús, Jucás, Deputado Irapuan Pinheiro, Saboeiro e Acopiara.


Sobre Luiz Vasconcelos

0 comentários :

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.