Caged: Brasil gera mais de 400 mil novos empregos formais em fevereiro


Após um desempenho positivo no início do ano, o Brasil criou mais 401.639  vagas de emprego formal em fevereiro, descontadas as demissões. O primeiro bimestre de 2021 foi marcado por indicadores positivos para a atividade econômica, antes do recrudescimento da pandemia da Covid-19.

Os números são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados nesta terça-feira pelo Ministério da Economia. Eles representam o saldo entre demissões e admissões.

Além de aproveitar os resultados positivos iniciados no segundo semestre de 2020, o desempenho também reflete os efeitos residuais do programa de manutenção do emprego e renda (BEm), que permitiu acordos de redução de jornada e suspensão de contrato, com previsão de estabilidade.

O número divulgado nesta terça é resultado da diferença entre 1.694.604 contratações e 1.292.965 demissões. O ministro da Economia, Paulo Guedes, comemorou o dado:

— O Brasil é possivelmente o único país do mundo que atravessou a crise criando empregos.

Os cinco setores monitorados pelo governo registraram alta no nível de emprego em fevereiro. O desempenho positivo foi puxado pelo setor de serviços, que criou 173.547 postos de trabalho.

A indústria e comércio também tiveram resultados robustos, com saldo positivo de 93.621 vagas e 68.051 empregos, respectivamente. Na sequência, aparecem construção (43.469 postos de saldo) e agricultura (23.055 vagas).

 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Policial

Facebook